Senador Randolfe no Congresso em Foco


Por ser o mais jovem, e com grande chance de ser o mais inexperiente, talvez não se esperasse muito do senador Randolfe Rodrigues, do longínquo estado do Amapá. Mas o jovem parlamentar se destaca desde o primeiro momento, tendo sido inclusive candidato à presidência do Senado. Nesta ocasião, por ter sido eleito pelo PSOL, muitos esperavam um discurso marcado pelo esquerdismo e estreiteza. Mas das palavras de Randolfe ecoaram propostas sérias de mudanças na Casa. E a leveza e cordialidade que marcam a sua atuação política.

Randolfe acaba de surpreender mais uma vez, entrando na lista dos melhores parlamentares do Brasil e está na disputa pelo respeitado Prêmio Congresso em Foco. Na primeira etapa do prêmio, jornalistas que cobrem o Congresso Nacional fazem uma pré-escolha. Depois é o público que vota, via Internet. O objetivo do Prêmio é "estimular a reflexão sobre a atuação de deputados e senadores e romper com o discurso conformista de que todos os políticos são iguais". Realmente eles não são todos iguais, como bem sabemos.

Randolfe concorre como um dos melhores e também na categoria Parlamentar de Futuro.

Nós aqui da P2, que conhecemos bem o Randolfe, entramos na campanha para que o Congresso em Foco seja dado ao senador amapaense. Os motivos são vários, mas destaco dois. O primeiro é que o Amapá precisa urgentemente de boas notícias, depois de tudo que o Brasil tem assistido sobre o Estado. O segundo é pra assegurar que um parlamentar mais perto do povo seja escolhido como um dos melhores. O Randolfe é um cara que não tem pose nenhuma de senador. Ele bate bapo de igual pra igual com qualquer um, sempre em alto nível, sempre com respeito, sempre com proeminência, mas nunca com superioridade. E é raro ver um bom político (e intelectual, professor universitário) vacinado contra mosca azul da vaidade fácil.

Além disso o Randolfe é de esquerda, é socialista, é lutador de nosso povo.

Portanto, merece o voto de todos.

Vote aqui: Congresso em Foco

Um comentário:

Anônimo disse...

ACADÊMICOS BANDIDOS

¨Mudança real - O verdadeiro problema somos nós, a sociedade civil. Para haver uma mudança real na formação de professores, é necessário que a sociedade respalde as lideranças políticas empenhadas na reforma, porque essa reforma significa que os governantes precisarão intervir forçosa e radicalmente nesses cursos nas universidades públicas, alterando-os de cima a baixo. É curioso: nossos governantes criaram coragem para invadir o Morro do Alemão, mas as universidades públicas continuam sendo consideradas território perigoso demais para a ação saneadora do estado. Esculachar bandido armado de metralhadora é mais fácil do que peitar os doutores da academia, que permanecem livres para perpetrar seus delitos intelectuais.¨

Como melhorar a Educação brasileira - Parte 2, Gustavo Ioschpe,
28/01/2011

http://educarparacrescer.abril.com.br/gestao-escolar/educaca-administracao-escolar-ensino-617161.shtml